Exposição reúne reflexões de crianças e jovens sobre o futuro de São Paulo.

Obras produzidas em caixas de madeira serão exibidas em sete prédios históricos paulistanos e na nova sede do Instituto GTECH, no período entre 06 e 19 de dezembro.

De 06 a 19 de dezembro, locais do centro histórico de São Paulo como Pátio do Colégio, Largo São Francisco e Ministério Público exibirão os resultados das reflexões de crianças e jovens sobre a cidade no futuro, permeadas pela expressão de suas expectativas em relação ao seu papel, hoje e amanhã, na realidade paulistana. A exposição Em Obras: Um Olhar em Construção reunirá obras produzidas por 850 crianças, adolescentes e membros de comunidades participantes do Programa Asa – Oficina de Arte-cidadania, do Instituto GTECH, que já atendeu 3.500 crianças e jovens desde a sua criação, há quatro anos.

A exposição marca a inauguração da nova sede do Instituto GTECH (na Alameda Nothmann, 1029). Totalmente restaurado, o novo espaço foi concebido para promover a democratização do acesso à cultura e a disseminação de iniciativas, trabalhos e resultados de Arte-cidadania – o conceito empregado a projetos que adotam a Arte como instrumento para o desenvolvimento da Cidadania. Para começar em São Paulo a viabilização dessa proposta de nível nacional do Instituto GTECH, a nova sede será o centro de articulações da parceria batizada de “Bairro-Escola-Centro”, que acaba de ser estabelecida com o Instituto Aprendiz, dirigido por Gilberto Dimenstein.

A parceria prevê a estruturação de uma espécie de teia que quer facilitar o acesso dos estudantes de escolas públicas a oportunidades capazes de contribuir para seu desenvolvimento artístico e cultural e para o enriquecimento de sua consciência crítica. O primeiro público atendido será o de estudantes do centro de São Paulo, Barra Funda e região. Conectando pessoas e entidades em rede, o projeto deve resultar em iniciativas capazes de promover ações educativas para transformar o centro de São Paulo num espaço de conhecimento pela arte e pela cultura, fazendo uso de sua infra-estrutura cultural.

Proposta do instituto

A exposição está sintonizada com o conceito de Arte-cidadania que embasa o trabalho do Instituto GTECH, traduzido pelo estímulo a crianças e jovens de 07 a 17 anos para que manifestem sua consciência crítica e exerçam sua cidadania, adotando como ferramenta a expressão artística de sua criatividade. Os arte-cidadãos, estudantes da rede pública oriundos de diversas regiões da cidade, produziram espécies de “cartas visuais” endereçadas aos cidadãos paulistanos do futuro. Essas mensagens pretendem traduzir o que são, o que fazem hoje e o que imaginam ser amanhã esses jovens artistas, além de suas perguntas e respostas sobre a cidade onde vivem.

Conceito da exposição

De criação livre, produzidas com os mais diversos materiais, as obras foram elaboradas dentro de caixas de madeira, simbolizando tijolos. Sob curadoria de Px Silveira, ex-coordenador da Funarte de São Paulo, a exposição reunirá cerca de mil obras. Juntas, as caixas formam estruturas que remetem a obras e construções. Entretanto, isoladamente as caixas estilizadas de madeira mantêm sua mensagem individual, cumprindo o objetivo da exposição de valorizar a autoralidade do arte-cidadão.

As estruturas serão montadas em pontos estratégicos do centro da cidade. Além do Pátio do Colégio e Largo São Francisco, as estruturas estarão no Solar da Marquesa de Santos, Casa da Bóia; Café Florêncio e Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer. Provocado a refletir também sobre o seu papel no futuro paulistano, o visitante de qualquer dos locais receberá um passaporte, que o instruirá a percorrer todo itinerário de instalações da exposição e, dessa forma, paralelamente conferir parte da história de São Paulo.

fonte: aomestrecomcarinho.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *